quinta-feira, 3 de julho de 2008

O GERENTE, EM: EPISÓDIO PILOTO

Texto criado, redigido e revisado por Mim Mesmo. OK, é mentira. O Mim Mesmo não pôde vir, então eu, Célio Lacerda Ferreira, fiz tudo sozinho. Por isso deve estar aquela bela bosta!

... não, Judas, seu idiota! Eu disse "Muros de Jericó"... JericÓ! Com acento no Ó, ó! Está aqui no papyrus que te forneci como rascunho! Tenho que fazer tudo eu mesmo, putaquepariu! Eu já falei mais de um porrilhão de vezes! Seu... seu... jerico! Hey, taí um termo pejorativo! Deve ser assim que nascem certas coisas sem importância nenhuma para a humanidade...
Mas vejam só, senhor, senhora & senhorita! Essas contratações temporárias só me dão dor de cabeça. Nem lhes conto uma vez, quando precisei de um serviço terceirizado... Ná época, lembro-me muito bem, o nome do técnico que compareceu era Bell... Isso, mesmo, seu nome completo era Alexander Graham Bell. O supracitado mentecapto assegurou-me que havia uma falha com a conexão do sistema de comunicação que estava sendo utilizado... Quanta audácia! Disse poucas e boas pr´aquele beócio, agradeci pelo que não fizera, dei-lhe alguns tostões até que foi-se embora, dizendo-me que não se incomodara com o ocorrido, pois estava trabalhando em um projeto de grande valor e importância... Nunca mais ouvi nada a respeito desse pobre infeliz... Pois é, o sol não nasce para todos e, como dizem, "merdas acontecem".
Para a minha humilde, carismática, motivada e empreendedora pessoa, era mais uma demissão informal. Vocês sabem, caros co-workers, que tudo isso faz parte de uma carreira de sucesso. São situações que você tem que administrar com classe e diplomacia, porque o mais importante hoje em dia é o RESULTADO. E RÁPIDO! Numa empresa, as respostas são dadas em números, conforme aprendi com grandes sábios do ramo. E isso compreende uma verdade tão avassaladora que, quando entrevistei um candidato a uma vaga de emprego, perguntei o nome do fulano, e ele me respondeu: "Um Dois Três de Oliveira Quatro, senhor." Quase contratei o profissional naquele exato instante! O colaborador já adentrou minha sala me dando respostas em NÚMEROS! Era disso mesmo que precisávamos, mas logo que recobrei os sentidos, refleti: "Peralá! 'Oliveira' não é um número!", dispensando-o logo em seguida.
Eu sabia que ele não seria o candidato escolhido porque o mundo está girando num ritmo cada vez mais alucinado e nós, os Gerentes de sucesso, temos que nos adaptar. E para que isso se concretize, é necessário que façamos os downloads necessários na nossa vida e a atualizemos diariamente! E o Mercado não espera por aquele que não tem banda larga! É a Teoria da Evolução Sócio-Profissional em tempo real; tudo acontece ao mesmo tempo, tudo muda ao redor dos nossos frágeis conhecimentos adquiridos num cursinho de pós-graduação à distância... Mas começo o meu mestrado no ano que vem... Eu só preciso criar uma situação-problema a fim de exercer a dinâmica individualista do networking, entrar em contato com as figuras-chave e tudo estará pré-estabelecido, bastando apenas o rateio dos devidos subornos e propinas entre os envolvidos nesta operação... Mas ESTA... É uma outra história...
(Putaqupariu, que finalzinho TOSCO!!!)
P. S. Apesar de plagiar algumas idéias de maneira vulgarmente infantil, este texto é de MINHA autoria, assim como todos os outros que foram e também os que serão publicados neste Blog. As citações terão seu devido crédito. Os plágios são apenas uma mistura das influências que me influenciam todos os dias do meu cotidiano. Obrigado e voltem sempre!

Um comentário:

Renato Lacerda Ferreira disse...

Tá... Quando eu te plagiar, quero os meus devidos créditos!